Camila Collita

Quando entrei na faculdade de jornalismo eu sabia apenas de uma coisa: queria atingir o mundo.  Hoje, formada há mais de um ano, ainda não realizei esse objetivo, mas estou chegando, aos poucos, lá. Meu nome é Camila, tenho 23 anos e meu único vício é viajar. Muito prazer.

A minha mais recente aventura? A Índia. Isso mesmo, por oito meses o país das crenças virou minha casa, meu trabalho e minha própria novela.

Em junho de 2012, com o término da faculdade, me bateu o desespero: “ta, e agora?”. Queria porque queria morar um tempo fora, mas o dinheiro estava curto. Foi então que surgiu a oportunidade de fazer uma entrevista, através da AIESEC, para uma multinacional na Índia. Fiz, passei e me mandei para a terra de Ganesh. Trabalhei por oito meses na assessoria de imprensa da empresa Advanced Hair Studio e o crescimento além de profissional obviamente, foi muito pessoal também. Costumo dizer que a Índia é sinônimo de intensidade. Tudo era muito intenso: a bagunça, a sujeira, a poluição, o transito, a comida, as pessoas e o aprendizado. Andei de elefante, de camelo, vi de pertinho o Taj Mahal, pulei de pára-quedas no Himalaia e trabalhei MUITO, praticamente de domingo a domingo.
Enquanto estava lá, tive a oportunidade também de realizar mais um sonho, a de cobrir, como correspondente internacional, as manifestações contra os Estados Unidos (após um vídeo/filme anti-islãmico produzido nos EUA) e a constante quebra do acordo de cessar-fogo entre Índia e Paquistão. Vi, vivenciei e aprendi muito. Voltei com uma bagagem de experiências grande, mas confesso que mal posso esperar para aumentar ainda mais. E dessa vez, vou pra onde?