Ana Cláudia Pereira

Me formei em 2009, quando ainda trabalhava na Prefeitura de Curitiba como Educadora Social. Passei no concurso em 2007 para pagar a faculdade – financiada em apenas 96 parcelas -, mas logo consegui unir as duas áreas. Um exemplo foi o produto do meu TCC: um livro intitulado “Curitiba também tem favela”, que continua na fila de pendências para ser publicado.
No ano seguinte virei coordenadora do Circo da Cidade, um projeto social de contra-turno para crianças de baixa renda e foi dessa realidade que me surgiu o desgosto pelas áreas de atuação tradicionais do jornalismo. Nesse meio tempo, comecei a fortalecer meus contatos aqui e no Rio de Janeiro e prestar assessoria musical,  focando nos artistas do rap. Entre alguns assessorados estão: Jacksom, Akira Presidente e Marcelo D2  e, com a repercussão, acabei ganhando clientes de outras cenas musicais. Em 2012, quando estava na assessoria da Secretaria de Esportes, já farta de entender como funciona (ou melhor, como não funciona) o sistema público, me exonerei da Prefeitura.
Casei em março desse ano, em Bali, com um amigo que conheci dez anos antes e que me pediu em casamento com dois meses de relacionamento. Passamos 36 dias em lua de mel pelo Sudeste Asiático e um ano atrás abrimos uma loja de conveniências. Continuo com os frellas, esse mês fechei projeto com Rabú Gonzalez, produtor de videoclipes de Niterói. Ah, já ia esquecendo,agora só restam quatro parcelas para quitar a faculdade.