Especial educação: gastos ou investimentos, prejuízos ou lucro?

Na terceira e ultima reportagem dessa série especial sobre as aulas a distância no Paraná você terá acesso aos valores pagos pelo Governo Estadual em serviços prestados pelas empresas privadas

Por Leandro Georgete e Vinicius Silvestrini

Para o bom andamento do ano letivo e para que cerca de um milhão de alunos das redes públicas de ensino do Estado do Paraná não sejam prejudicados, a Secretaria de Estado da Educação em comum acordo com o Governo Estadual assinaram contratos milionários para a aquisição de novos recursos e tecnologias.

Aulas televisionadas

A SEED/PR firmou um contrato milionário com a Rede Independência de Comunicação (RIC Record TV). No contrato publicado no Diário Oficial do Estado do Paraná no dia oito deste mês, prevê que a TV prestará serviços de transmissão de conteúdo escolar e educacional através de três canais digitais (7.2, 7.3, 7.4) para a transmissão de aulas aos alunos da Rede Pública Estadual de Ensino, durante o período de isolamento social em virtude da Covid–19.

O serviço teve início no dia seis de abril e tem previsão de término no dia dois de julho, podendo ser prorrogado por meio de um Termo Aditivo. Assinado no dia três de abril pelo diretor geral da SEED Gláucio Roberto Dias e pelo presidente do grupo RIC Leonardo Petrelli Neto, o valor total pago será de R$2.700.000,00, ou seja, 900 mil reais mensais.

 

Página 2 do contrato assinado entre o Estado do Paraná e a RIC Record TV (Foto: SEED)

 

Empresas de telefonia móvel

Para os alunos acessarem os conteúdos e as atividades propostas nas aulas, a SEED contratou as principais operadoras de telefonia móveis (Claro, Oi, Tim e Vivo) para fornecer fluxo de dados na modalidade cobrança reversa onde a SEED é o responsável pelo pagamento quando o usuário (aluno/professor) acessar o aplicativo Aula Paraná. O valor pago para essas empresas é de R$20.895.000,00.

Plataforma streaming

O Contrato tem duração de três meses e o total é de 300 mil reais. A plataforma permite a transmissão instantânea de dados (áudio, mensagens e vídeos) onde é possível assistir vídeos (aulas) sem a necessidade de fazer download, onde o acesso aos conteúdos online se torna mais rápido.

Página 2 do contrato assinado entre o Estado do Paraná e a IP. TV Ltda (Foto: SEED)

Merenda escolar

No dia 30 de março o Senado Federal aprovou o projeto de lei que prevê a distribuição de kits de merendas para os estudantes de escolas públicas de ensino. O projeto é de autoria do Senador Hildo Rocha (MDB-MA).

Aqui no estado, a prática está sendo feita desde o dia 26 de março.  O objetivo é atender aos estudantes beneficiários do Programa Bolsa Família e também os que estão em situações vulneráveis. O ato foi formalizado no Decreto 4.316/20 que estabelece os meios para a distribuição. Para o governo do estado, a decisão teve como objetivo garantir que as famílias tenham acesso aos alimentos. A SEED publicou a Resolução 901/2020 que organiza as escolas para o recebimento dos alimentos e a distribuição dos kits.