Osasco/Audax vence CWB Vôlei, que segue sem vitórias na Superliga

O time paulistano dominou a terceira rodada da Superliga Feminina de Vôlei, e o Curitiba Vôlei continua sem vitórias na Superliga

Curitiba Vôlei enfrentou nesta terça-feira (19) o time paulistano Osasco/Audax, no ginásio de esportes da Universidade Positivo, campus Ecoville. A terceira rodada da Superliga Feminina de Vôlei teve início às 20h com o Curitiba Vôlei abrindo a pontuação da partida, mas o time, que jogou em casa como na primeira rodada, ainda não conquistou uma partida da Superliga.  Por três sets a zero, Osasco/Audax venceu CWB Vôlei que mesmo se mantendo firme durante os sets não conseguiu superar a forte equipe paulistana.

Osasco/Audax vence a terceira rodada da Superliga (Foto: Rhanna Sarot/RedeTeia.com)

No primeiro set a partida começou equilibrada com CWB Vôlei saindo na frente, mas não demorou muito para que o Osasco alcançasse a pontuação da equipe adversária e logo em seguida conquistasse a liderança da partida. Marcado por várias substituições, o Osasco venceu o set, por 25 X 19.

Com a troca de lado em quadra pelas equipes, o segundo set teve início com  Osasco saindo na frente, mas a equipe do CWB Vôlei fez sua melhor partida do jogo e conseguiu alcançar a pontuação da equipe paulista mantendo o equilíbrio praticamente durante todo o set, mas isso não foi suficiente para atingirem a vitória. Set vencido pelo Osasco de 25 X 23.

Mari Alejandra comemora ponto do CWB Vôlei (Foto: Rodrigo Macedo/RedeTeia.com)

O terceiro set foi dominado pelo Osasco. Diferente dos outros sets do jogo, o Curitiba Vôlei não conseguiu manter o equilíbrio na pontuação da partida e acabou perdendo por uma grande diferença de pontos. Com o placar de 25 X 14, o Osasco/Audax venceu a terceira rodada da Superliga.

As jogadoras que se destacaram no jogo foram a Roberta, levantadora do Osasco que inclusive ganhou o prêmio de melhor jogadora da partida, e Sara, do Curitiba Vôlei, que teve a melhor participação durante as partidas de sua equipe.

A levantadora do CWB Vôlei Liv, comentou sobre a partida contra a equipe paulistana. “Jogo complicado, contra um time muito forte que é o Osasco, um dos favoritos da competição, e nós não conseguimos imprimir o nosso ritmo o jogo inteiro”. Na opinião da jogadora, faltou paciência nos finais dos sets para que Curitiba Vôlei se saísse melhor. Liv garante que para os próximos jogos a equipe vai voltar a trabalhar e pensar nos erros e dificuldades que tiveram para intensificarem o treino e enfrentarem os novos desafios que virão.

Técnico Duda Nunes aconselhando o CWB Vôlei (Foto: Rodrigo Macedo/RedeTeia.com)

A jogadora Sara Dias, oposta do Curitiba Vôlei, considera importante para o próximo jogo prestar atenção aos erros cometidos pela equipe. “Estudar a gente está estudando muito bem, treinar a gente está treinando muito bem, a gente só tem que tomar mais cuidado com os nossos erros”. Sobre a partida, a oposta considera que sua equipe vem tendo uma evolução comparada aos outros jogos, e que esse contra o Osasco foi o melhor. “Pegamos um deslize no terceiro set, mas os dois primeiros foram muito bons”.

Jogar sob vaias e fora de casa não parou o Osasco/Audax 

Mesmo com o jogo fora de casa, a equipe paulistana Osasco/Audax recorreu a uma maior concentração durante os sets. Em grande maioria, a arquibancada do Ginásio de Esportes da Universidade Positivo torceu para o Curitiba Vôlei, e em meio a vaias em vários momentos de saques da equipe, o Osasco conquistou os nos três sets da partida.

A Bicampeã Olímpica do Osasco/Audax, Jaque Carvalho, falou sobre as vaias em quadra. “Acho que a torcida faz parte, é isso mesmo, eles vão torcer a favor de sua equipe então é normal vaiar, gritar enfim, mas a gente não pode se desconcentrar em momento nenhum e fazer a nossa parte dentro de quadra como a gente fez”. Sobre a partida contra Curitiba Vôlei, a jogadora a avaliou como boa e elogiou a equipe adversária que, segundo ela, deram bastante trabalho no segundo set e também no primeiro, onde em alguns momentos elas jogaram na frente. “A gente soube não desequilibrar nos momentos de dificuldades, e reverter a situação difícil em algo muito bom”. Ela destacou como importante a habilidade que sua equipe tem em conseguir reverter situações difíceis.

Sobre a importância da torcida em quadra, a jogadora Liv Sauer, do Curitiba Vôlei, falou sobre a força fornecida pelos torcedores. “É muito importante, a gente se sente empurrado o tempo todo. A gente tem que agradecer por ter essa energia tão positiva que é da nossa torcida o tempo todo nos apoiando, é incrível mesmo, é muito bom”, finalizou.

previous arrow
next arrow
Slider

Deixe uma resposta