Reserva natural da Lapa é objeto de projeto educacional

Grupo de alunos visitaram a Mata do Uru, empresas da Lapa, a prefeitura e outros órgãos governamentais para a realização do projeto de educomunicação nas escolas

Integrantes do curso de Jornalismo da Universidade Positivo iniciaram, nesta quarta-feita (24), um projeto de educomunicação na Lapa, município na Região Metropolitana de Curitiba. Durante a visita, a equipe fez reuniões com a Prefeitura, secretarias de Meio Ambiente e de Educação e empresas e, além disso, conheceram a Mata do Uru, objeto de estudo do projeto de pesquisa e extensão financiado pelo Centro de Pesquisas da Universidade Positivo (CPUP).

Alunos do segundo e quarto períodos de Jornalismo, junto com os professores Hendryo André e Gustavo Panacioni, visitaram a Mata, e, após a visita, o grupo se reuniu com o prefeito da Lapa, Paulo Furiati, para estabelecer uma parceria entre a Prefeitura e demais entidades governamentais. “Na medida que eles vão participar de oficinas, vão viver essas oficinas, através de um trabalho conjunto, eles vão poder inserir essa realidade na sua vida e a partir ‘daí’ mudar comportamentos, e isso é o fundamental”, disse o prefeito Paulo Furiati. “Na verdade, não há política pública que se sustente se a população não estiver conscientemente agindo para a proteção ambiental”, completou.

O projeto prevê a produção de materiais audiovisuais feitos pelos alunos atendidos nas oficinas de educomunicação e também uma pesquisa científica que será aplicada nas escolas do município. Além da prefeitura, as secretarias de Educação e Meio Ambiente e as empresas Emater-PR e Pianostur têm interesse na parceira.

Reunião entre professores e alunos com representantes da empresa Pianostur (Foto: Victoria Sampaio/RedeTeia.com)

O projeto “Leitura Crítica e Criativa da Realidade: oficinas de educomunicação para a conscientização sobre a importância da RPPN Uru” tem o objetivo de promover a educação ambiental, tanto da Mata do Uru quanto do meio em que os estudantes beneficiados pelas oficinas estão inseridos. A partir disso, produtos audiovisuais e uma pesquisa científica serão feitos até setembro de 2020, data da finalização do projeto. Outro resultado esperado pela iniciativa é a promoção do município para a juventude, através de conteúdos que favoreçam o ensino histórico e social da Lapa.

A metodologia da Educomunicação utiliza de ferramentas midiáticas práticas para ensinar o conteúdo — que neste projeto envolve a conscientização da preservação ambiental e do conhecimento histórico e social do município — ao estudante. A próxima etapa do projeto será realizada já na semana que vem, quando cerca de 16 estudantes irão aplicar a pesquisa em 15 escolas municipais e estaduais do município.

Mata do Uru

A região foi adquirida na década de 1950 pelo Ari Campanholo, já com o intuito de preservação da fauna e flora naturais remanescentes. Em 1982, seu filho Gabriel Campanholo mudou-se para a área, onde viveu até falecer, em dezembro de 2003.

Durante os anos que administou  a área, Gabriel Campanholo agiu para a conservação do local, onde afungentou caçadores e plantou milhares de árvores nativas. “Realmente o senhor Gabriel conservava a ferro e fogo, ele não tolerava a caça, extração de madeira e todas atividades que são proibidas para uma área natural”, explica Rômulo Silva, biólogo da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), que trabalha na manutenção da Mata. A região possui 34 nascentes, 40 rios e 240 hectares cobertos por Floresta com Araucárias, dentro de 333,72 hectares de área.

 

 

Deixe uma resposta