Seminário SET Sul 2019 debate tecnologia e comunicação

Nos dias 12 e 13 de junho aconteceu, na Universidade Positivo, o seminário SET Sul 2019, que trouxe temas entre tecnologia e comunicação para o debate público

Nos dias 12 e 13 de junho, profissionais da mídia nacional se reuniram no Seminário SET Sul 2019, evento que debateu as dificuldades e novidades tecnológicas presentes no ramo midiático. O seminário contou com 13 painéis, que abordaram desde a televisão aberta até a utilização de inteligência artificial no mundo, e foi realizado no Auditório Bege da Universidade Positivo (campus Ecoville).

Na manhã da quarta-feira (12), o tema debatido foi “A força da TV aberta”. Mediado por Márcio Vilela, diretor da Acesses Consultoria e Informática. O painel contou com a presença de Leonardo Chaves, coordenador do módulo técnico do fórum brasileiro de TV digital, Eduardo Boschetti, diretor geral da RPCTV, Leonardo Petrelli, presidente executivo do grupo RIC do Paraná e Giovana Alcantara, diretora comercial da Kantar IBOPE Media. Os palestrantes debateram questões muito presentes no meio televisivo, como a democratização que a TV proporcionou no acesso de informação para as pessoas, a ameaça que os serviços de streaming inferem sobre a TV,  e o uso do meio chamado “2a e 3a telas”, método utilizado quando o telespectador usa celulares ou computadores para ver conteúdos complementares aos da televisão.

O painel “Rádio: a tecnologia a favor do negócio” aconteceu na tarde do primeiro dia. Teve como moderador Cristiano Lobato Flores, diretor geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT). Luciano Costa Hoerb, Alexandre Barros e Marcello Corrêa Petrelli foram os palestrantes, que trouxeram a debate temas como os rumos que a rádio pode tomar com o rápido desenvolvimento tecnológico e como tem se habituado perante esse fato. “Talvez esse seja o melhor momento do rádio em toda história”, disse Barros sobre o momento em que a rádio vive.

“Modelos de negócio para OTTs” teve os palestrantes Bruno Magalhães, diretor de desenvolvimento na empresa Ateme, Guilherme Castelo Branco, diretor da Phase Engenharia, e Fabio de Sales Guerra Tsuzuki, CEO da Media Portal Soluções, sendo moderados por Marcelo Guerra, gerente de tecnologia em mídias digitais na TV Globo. Para Magalhães, o grande limitador é a internet. “Ela não irá substituir a televisão tradicional, mas será sim um complemento dela, servindo como ponte direta ao cliente, sem necessariamente ter uma televisão por assinatura”, explica.

Os recursos do planeta são finitos e o uso e acesso pleno à tecnologia são de suma importância para o desenvolvimento social. Esse foi o tema dominante na palestra “5G: Aliado ou potencial concorrente?”, durante a  tarde da quinta-feira (13). José Frederico acredita que “a tecnologia 5G vai melhorar muito a qualidade e oferta do serviço, e que sua implantação será transparente”. O coordenador frisou, ainda, que “a tecnologia está a favor da gente” e que todos os âmbitos precisam acompanhar essa evolução para que a sociedade usufrua dela ao máximo possível. Marcos Trindade reiterou tal afirmação. “O governo precisará criar políticas públicas que ampliem o acesso às tecnologias para as pessoas”, explicou.

O painel “Contribuição e distribuição via satélite”, mediado pelo coordenador de RF e projetos regulatórios da NSC TV Florianópolis, Alisson Heinemann, contou com a presença do gerente comercial da 2Live, Lucas Morais, diretor executivo da SM facilites,  Sérgio Martines, e o diretor comercial e divisão de vídeo da SES, Rubens Vituli. O painel trouxe as novidades em informações via satélites e qualidade de transmissão.

As palestras Broadcast IP: Onde estamos? e Cenário atual e aplicação dos padrões mais utilizados no mundo Broadcast foram ministradas pelo moderador Rafael Alexandre Mafra na tarde desta quinta-feira (13), durante o seminário SET Sul 2019. O gerente da Newtek,  Pablo Perez Hetze, falou sobre a inovação na Newtek, um novo tipo de IP que promete diminuir o atraso nas transmissões via internet. “É um protocolo novo de tráfego de vídeo que busca aumentar a flexibilidade, ler e converter qualquer formato em vídeo com baixo delay”, explicou.

O painel de Captação, Edição e Produção ao Vivo, moderado pelo gerente de Tecnologia do Grupo NSC, Washington Gasparotto, trouxe novas formas para gerar transmissões de alta qualidade, com durabilidade, praticidade e custo benefício melhores.

 

Deixe uma resposta