“O rádio é imortal”, afirmam palestrantes do SET Sul 2019

Novas tendências tecnológicas, sugestões de inovações no mercado radialístico e dados sobre crescimento do setor foram os princípios tomados pelo painel “Rádio: a tecnologia a favor do negócio”, no SET Sul 2019

Para inaugurar a tarde do primeiro dia do seminário SET Sul 2019, o painel “Rádio: a tecnologia a favor do negócio” teve como moderador Cristiano Lobato Flores, diretor geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT). Luciano Costa Hoerb, Alexandre Barros e Marcello Corrêa Petrelli foram os palestrantes, que trouxeram a debate temas como os rumos que a rádio pode tomar com o rápido desenvolvimento tecnológico e como tem se habituado perante esse fato.

O presidente da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (AERP), Alexandre Barros, iniciou a discussão afirmando a facilidade que o rádio tem em se adaptar ao mundo digital, em comparação aos outros meios de comunicação. Segundo ele, a forma de trabalhar com informação utilizada pelo rádio é muito mais adaptável a novos meios de transmissão do que os demais. Com o advento da internet, o rádio pode adaptar-se através de novas plataformas, como as de streaming (que é o caso do Spotify), podcasts, tornar-se híbrida entre o serviço de broadcast e a internet, dentre outros métodos. “Talvez esse seja o melhor momento do rádio em toda história”, disse Barros sobre essa mobilidade multiplataforma.

Da esquerda para a direita: Luciano Costa Hoerbe (AGERT), Alexandre Barros (AERP) e Marcello Corrêa Petrelli (ACAERT) em painel (Foto: Rhanna Sarot/Rede Teia)

O presidente da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão, Marcello Corrêa Petrelli, apresentou o crescimento do setor, em defesa da ideia de que o rádio permanece em alta. Houve, de 2018 para 2019, aumento de 1% nos lucros obtidos na área, que contabilizou cerca de 40 bilhões de dólares. Para que cresça significativamente, Petrelli afirma que se deve propor mudanças na estrutura do mercado de trabalho, onde capacitação profissional, eficiência e diferencial são necessários para que resultados imediatos sejam percebidos.

O vice-presidente de marketing da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (AGERT), Luciano Costa Hoerbe, destacou a importância da humanização do trabalho. Para ele, em uma sociedade conectada e imediata, é necessária a busca pelo diferencial. O jovem pode e deve discutir formas que aumentem o público de ouvintes, que está concentrado na população com mais de 35 anos.

Deixe uma resposta