Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba

Redução representa mais de R$ 48 milhões no orçamento da Universidade Federal do Paraná. Cortes devem afetar atividades no segundo semestre

 

A mobilização desta quarta-feira (8) em frente ao Prédio Histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade, contou com a participação de jovens estudantes e professores que protestaram contra o corte de verbas referentes às universidades e institutos federais anunciados na quarta-feira (1) pelo Ministério da Educação.

A medida tomada pelo governo, que retira 30% do orçamento destinado à UFPR (Universidade Federal do Paraná), UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e o IFPR (Instituto Federal do Paraná) põe em risco funcionamento dessas três instituições já a partir do segundo semestre, segundo nota à comunidade.

Confira a reportagem do estudante Lucas Basílio, do 3° período.

Por essa razão, ao decorrer da semana alunos e professores movimentaram as redes sociais com imagens contra a medida tomada pelo Ministério da Educação. No fim da tarde desta quarta-feira não foi diferente: cartazes, faixas, gritos e bateria tomaram a praça Santos Andrade em um ato organizado pela comunidade acadêmica em resistência aos cortes.

Para manifestantes, cortes representam, além de descaso com a educação superior, prejuízo econômico (Foto: Ana Zampier/RedeTeia.com).

A estudante de Gestão Pública do Instituto Federal e atual presidente da União Paranaense dos Estudantes (UPE), Izabela Marinho, de 23 anos, comenta sobre a resistência aos cortes e o processo de planejamento: “As ações são organizadas a partir de algumas frentes. Existe um documento da UPE para posicionar politicamente nossas ações. Um segundo momento que é a campanha que se chama – ‘Universidade na rua’, que é para levar essas pesquisas, esse impacto social para a rua. E aí os atos propriamente, porque a gente entende que povo na rua é sinal de revolta, de insatisfação e é isso que nós precisamos mostrar, que estamos insatisfeitos.”

A presidente ainda comenta que esses 30% são relativos às verbas de custeio, responsáveis pela ampliação da universidade e o investimento em ciência e tecnologia. O corte, para ela, significa uma queda no âmbito econômico, uma vez que o conhecimento é produzido por aqueles que hoje lutam pelas federais e geram tecnologia que, por consequência, mantém a economia. Ela também diz que o pensamento do governo com o corte ‘’não é propriamente o orçamento brasileiro, mas sim o de perseguição ao movimento estudantil e às instituições que abrem as portas para o estudante que quer se organizar’’.

No decorrer da semana alunos e professores movimentaram as redes sociais contra a medida do MEC (Foto: Maiara Kolb/RedeTeia.com)

O médico e ex-deputado estadual, Florisvaldo Fier, de 68 anos, mais conhecido como Dr. Rosinha, destaca a importância das manifestações públicas. Para ele, apesar de as redes sociais darem visibilidade aos mais variados assuntos, nem todos têm esse mesmo acesso. “Ir para a rua demonstra a insatisfação que vai além da internet. Esses atos geram efeitos e precisam ser feitos sem divisões para que a luta tenha mais força. Afinal, todo mundo está ouvindo esse grito”, explica.

Quem também presenciou o protesto foi Wellington Tiago, de 19 anos, estudante de Áudio e Vídeo do Colégio Estadual do Paraná e presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas. Wellington aponta algo na postura do governo que vê como hipocrisia: ‘’O governo falou que o corte era para investir na educação básica e na mesma semana também cortou da educação básica – e mais ainda, foram R$ 2 bilhões na educação básica. O jovem vai sofrer com uma educação básica sucateada, e está sem futuro garantido na universidade’’.

Outros atos em oposição ao corte serão feitos ainda nesta semana em Curitiba. No dia 15 de maio estão programadas outras duas paralizações pela educação.

 

 

Ana Zampier é estudante do 1° período do curso de Jornalismo da Universidade Positivo.
*Com informações de Daniel Victor Silveira (1° período de Jornalismo)

 

  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)
  • Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Ato contra corte de verbas nas instituições federais reúne manifestantes em Curitiba
    Fotos: Alessandra Ramos (RedeTeia.com)

Deixe uma resposta