10 mil participam de corrida de rua em Curitiba

The Hardest Run foi criado pelo maratonista extremo Marcelo Alves e tem como objetivo organizar corridas que dedicam 100% do valor dos participantes para a saúde. Em Curitiba, a corrida do 1° de maio tem objetivo de arrecadar R$ 1 milhão para a construção do primeiro Hospital Oncopediátrico do Paraná, o Erastinho.

O feriado do dia do trabalho começou com agito em Curitiba: 10 mil pessoas se inscreveram para participar da maior corrida de rua da história da cidade. Com largada e chegada na praça Afonso Botelho, três opções de trajeto foram dadas aos participantes: 3 km, 5 km e 10 km.

O The Hardest Run foi criado pelo maratonista curitibano Marcelo Alves, conhecido por correr em lugares extremos, ele já correu na Antártida, Pólo Norte, Monte Everest e Deserto do Atacama. As maratonas foram sua inspiração para a idealização do projeto, que tinha como objetivo inicial conscientizar as pessoas para a doação da medula óssea.

A ajuda para o Hospital Erastinho surgiu com uma conversa entre Marcelo e o superintendente do Erasto Gaertner, Adriano Rocha Lago, que explicou que o dinheiro para construir o Erastinho vinha do governo federal e da contribuição das pessoas. Marcelo então resolveu pôr o projeto em prática na capital paranaense, convidando pessoas participarem – a taxa de inscrição de R$ 100 deve resultar em arrecadação de R$ 1 milhão para o hospital.

Vinícius Bonato da Silva é estudante do 3° período do curso de Jornalismo da Universidade Positivo.

Deixe uma resposta