Em Nome do Filho

Davi Carvalho 

 

Em Nome do Filho segue a proposta de discutir o luto materno sob a ótica de mães que perderam filhos jovens em acidentes de trânsito; e ainda sobre como o jornalista pode cumprir o papel de contar histórias fugindo do sensacionalismo. O debate foi materializado nas histórias de jovens mortos num contexto atual da violência no trânsito em dados de acidentes no Brasil e no mundo. Estudos da psicologia, jornalismo e documentários conduzem a discussão teórica e transformam o produto audiovisual na realidade de quatro mães através de seus relatos sobre a vivência do luto.

Meu primo faleceu em decorrência de um acidente de trânsito. Foi tudo muito rápido e violento. Ele só tinha 19 anos, também tinha acabado de começar a faculdade de engenharia mecânica. E foi quando eu tinha acabado de começar a faculdade de jornalismo. Cheguei a pensar em desistir do curso, mas a mãe dele, minha tia e madrinha, pediu que eu continuasse por ele. Ao ver a força que ela teve para se reerguer pensei em falar sobre as mortes de jovens no trânsito, mas sob a ótica do luto materno. Queria entender como as mães desses jovens sobrevivem, qual o processo do luto, como elas enxergam a morte do filho.

Foi no meu último ano. Em Nome do Filho surgiu no começo da faculdade, mas só pude concluí-lo como produto do meu trabalho de conclusão de curso. Primeiro acreditei ser difícil fazê-lo sozinho. É, mas depois descobri o quão prazeroso pode ser a realização de um trabalho que desde a ideia a execução, todo o processo, foi pensado por você. Posso falar de uma dificuldade que enfrentei que considero uma das mais desafiadoras. Eu tinha em mãos boas histórias, histórias de luta, luto, de dor. Mas ao mesmo tempo eu não queria dar ao documentário apenas um tom dramático ou que ele fosse extremamente maçante. Meu desafio foi encontrar uma maneira de informar, de causar empatia, de criar um ritmo onde o espectador pudesse conhecer cada mãe, entender a história e, ao mesmo tempo, compreender que por trás de cada morte daquelas se esconde um dado, se refere a alguma imprudência no trânsito. A maior dificuldade foi conectar a história do luto ao serviço jornalístico de prestar informação sobre a violência que ameaça a juventude.

 

Link do trailer: https://www.youtube.com/watch?v=fV_Zt0BHRRU

Página oficial do trabalho no Facebook: https://www.facebook.com/emnomedofilhodoc/

Deixe uma resposta