I Colóquio de Pesquisa Integrada define temas de estudos

Reunião do grupo de pesquisa integrada busca alinhar estudos e discutir atividades futuras

Érica Diniz

O primeiro colóquio do grupo de pesquisa integrada, foi realizado no Intercom, na terça-feira (05/09). Nesta tarde, durante a reunião foram debatidos alguns temas que já estavam em discussão em outras reuniões realizadas anteriormente pelo grupo. Uma delas é sobre as limitações e avanços do desenvolvimento das pesquisas realizadas por cada membro.

Durante a discussão foi decidido que as fichas de análise precisam ser padronizadas para facilitar a armazenagem no banco de dados e para que todos os trabalhos estejam alinhados na hora da busca por uma pesquisa. Essa padronização facilita para que os pesquisadores tenham mais autonomia durante suas pesquisas, além de gerar mais interesse para o grupo e para outros membros do mesmo.

Foram sugeridos que outros grupos de pesquisa sejam formados, para que as reuniões sejam realizadas com mais frequência e em grupos menores, dessa forma, a comunicação será mais eficaz e os trabalhos serão realizados de maneira mais ágil, porém, sem perder a qualidade.

A coordenadora do projeto coletivo que estuda as novas práticas jornalísticas, Kati Caetano, convidou duas professoras para criarem esses novos grupos, entre elas, a professora de telejornalismo, da Universidade Positivo, Sandra Nodari. A ideia é de que cada grupo desenvolva a partir de seus trabalhos já encaminhados, de maneira a facilitar nas composições de pesquisas, desde que a fonte seja creditada devidamente. Os grupos de pesquisa avançarão nas leituras de periódicos e jornais.

Também foi decidido sobre a realização do e-book, onde serão publicados os resultados das pesquisas realizadas por cada pesquisador. A plataforma foi escolhida no lugar de um dossiê devido a facilidade de acesso, e por atingir mais pessoas do que uma revista atingiria, ainda mais tratando-se de pesquisas voltadas para o jornalismo digital e novas mídias.

As próximas reuniões de grupo serão realizadas aproveitando os grandes eventos, como Intercom e SBPJor, de maneira que os pesquisadores de outras partes do país (sudeste, norte, nordeste) não precisem se deslocar com frequência, além disso, as reuniões também serão transmitidas via Skype.

Para a coordenadora do projeto coletivo, Kati Caetano a reunião foi importante para os pesquisadores pela definição do alinhamento das metodologias, devido as pesquisas serem realizadas em duas frentes: acadêmica, e de jornais.

“O grupo acadêmico trabalha com as teses que estão no portal da Capes, nos grupos de pesquisa nós estamos trabalhando com os da região sul, por terem maior pertinência no conteúdo da nossa pesquisa e os grupos de trabalho de eventos como Intercom, SBPJor. Agora nós teremos também a leitura de periódicos tentando realizar a leitura dos mais recentes para rastrearmos os tipos de trabalho que tem ali. Dentre o grupo de jornalismo tem pessoas trabalhando com o The New York Times, com o jornalismo imersivo, o The Guardian, as reportagens multimídias da Folha de São Paulo, El País, Vice News, vários jornais que tenham apresentado alguma proposta inovadora no digital”, detalha.  Em breve o grupo desenvolverá um site para a divulgação dos trabalhos/pesquisas realizados, de maneira que todos tenham acesso.

Para ver mais fotos, clique aqui!

Deixe uma resposta