Tom Veiga compartilha dicas sobre o processo criativo com alunos

 

 

O designer e artista plástico Tom Veiga é conhecido por reunir duas paixões em seu trabalho: a arte e o surf. Na maioria de suas obras, o artista encontra maneiras diferentes e criativas de retratar o movimento das ondas. Seu talento já rendeu exposições em diversos países e parcerias com grandes marcas, como Havaianas e Billabong.

Tom, que hoje vive em Garopaba, voltou à Curitiba especialmente para o Festival UPX, que aconteceu nos dias 16 e 17 de outubro na Universidade Positivo com o objetivo de interligar conhecimento e entretenimento. O artista plástico realizou uma palestra para os alunos de publicidade e propaganda em que compartilhou suas experiências da profissão e falou sobre o processo criativo.

Durante toda a palestra foi enfatizado que os momentos criativos de cada um não têm hora para acontecer. Os alunos e publicitários não precisam necessariamente ter suas ideias mais impressionantes enquanto cumprem o expediente de trabalho. A partir de cinco itens, o artista encontrou uma maneira descontraída de dar dicas sobre esse processo criativo aos presentes. É preciso saber o que inspira cada um, buscar referências sem deixar que isso caracterize um plágio, descobrir qual é o seu momento criativo, entre outras coisas.

Gustavo Klimczak é estudante do segundo ano do curso de Publicidade e Propaganda e contou que se inspirou muito com o que viu na palestra. “O Tom faz você olhar dentro de você mesmo, para saber o que te inspira e quais são os seus momentos criativos. Não é só na hora do trabalho e do estudo que temos esses momentos de criação. Eu gostei muito da palestra e com certeza iria de novo”.

Tom Veiga diz que tentou passar aos alunos, através de suas experiências, uma forma simples de buscar uma identidade criativa que abra portas. O artista também falou sobre a importância do evento e parabenizou a universidade pela inciativa. “Eu fiz questão de vir. Não tive essa oportunidade de conhecer pessoas que eu admirava ou que já tinham anos de caminhada. Proporcionar isso para os estudantes é uma experiência riquíssima. É uma honra fazer parte disso”.

Reportagem: Núcleo de Produção Jornalística e Institucional