Hackathon desenvolve reportagens e plataformas digitais sobre partos normais e cesáreas

 

Aconteceu hoje na Universidade Positivo o Hackathon Open Data, maratona de dados que tem o objetivo de desenvolver sites e reportagens com base em informações coletadas sobre partos normais e cirurgias cesáreas realizadas em Curitiba. O evento fez parte da programação do festival UPX, que reuniu palestras, food trucks, oficinas, envolvendo os diversos cursos da Universidade. O resultado do trabalho pode ser conferido em Nascer Bem.

Durante a maratona, os alunos voluntários se dividiram em três equipes para acompanhar os veículos participantes – Gazeta do Povo, RPC TV, Paraná Portal e Rede Teia. A partir disso, os participantes trabalharam para criar uma lista que esquematiza a taxa de partos normais e cesáreas de obstetras de Curitiba. Foram apuradas as taxas de cesáreas e partos normais de 2014 dos médicos da Unimed, Amil, ICS, Sulamerica e do SUS.

Com a organização dos dados, a intenção é dispor de um mecanismo de pesquisa nas plataformas online para auxiliar as mães na escolha de um procedimento adequado de acordo com as necessidades e vontades da mulher. A gestante pode, assim, pesquisar por um médico com maior taxa de partos normais – e mais experiência – caso deseje realizar esse procedimento.

A professora Rosiane Correia de Freitas, coordenadora do Hackathon, acredita que é nesse momento que os alunos podem observar o resultado do trabalho com dados. São três equipes envolvendo alunos e jornalistas que devem desenvolver três sites ainda hoje.

A aluna Ana Paula Severino participou da maratona com o objetivo de desenvolver o site para o Paraná Portal. Ela considera o evento importante, pois acredita que o uso de dados no jornalismo é fundamental. Ela ressalta que os alunos não notam essa importância. “A gente entra no curso achando que é só escrever e não lembramos o quanto os dados são importantes para o jornalismo. A importância é muito grande e a professora mostra isso pra gente através com esse evento”. A partir dos dados, Ana Paula acredita que é possível realizar grandes reportagens.

Reportagem: Ana Santos e Luis Izalberti