Grande elenco traz reflexões sobre o teatro em “Depois do Ensaio”

O último dia dessa edição do Festival de Curitiba contou com a segunda apresentação da peça “Depois do Ensaio” no Teatro da Reitoria. O grande elenco composto por Sophia Reis, Malu Bierrenbach e o ator global Leopoldo Pacheco dramatiza os bastidores de uma peça, desde os problemas pessoais dos envolvidos até reflexões mais profundas sobre o teatro.

Foi o texto original do sueco Ingmar Bergman que despertou na diretora Mônica Guimarães o desejo de levar o filme “Depois do Ensaio” para o teatro, há 26 anos. No entanto, a produção só foi iniciada há 5 ou 6 anos quando ela foi até a Suécia e conseguiu os direitos autorais necessários. Neste final de semana, depois de uma temporada de dois meses no Rio de Janeiro, eles iniciam, em Curitiba, uma viagem pelo Brasil.

No início do espetáculo o personagem protagonista, o diretor Henrik Vogler, encontra-se deitado no palco ao declarar que precisa desses momentos após os ensaios para que possa refletir sozinho. O drama se inicia quando a jovem Anna, protagonista da peça dirigida por Vogler, passa a questionar sua competência para ter o papel que um dia foi de sua mãe, quem não esconde odiar.

Raquel, mãe de Anna, largou a profissão de atriz quando a filha ainda era criança e morreu há 5 anos por conta de uma intoxicação alcóolica. Ela conquista espaço na trama quando uma lembrança de Vogler ganha vida. Os dois, que já tiveram um caso e estavam trabalhando juntos mais uma vez, passaram a discutir seu passado e o estado de Raquel, que estava deixando a bebida levar seu sucesso.

Entretanto, toques incessantes de alguns celulares acabaram atrapalhando o andamento do espetáculo. Por conta disso, Leopoldo Pacheco optou por interromper duas vezes a peça, levando o público a vaiar os responsáveis pelo barulho. No final da apresentação, ao cessar dos aplausos, ele explicou que, enquanto atuam, os atores estão envolvidos em outro mundo e que qualquer distração pode comprometer a concentração exigida na cena.

Com ou sem interrupções, de qualquer maneira o talento do elenco é inquestionável. Durante os 75 minutos da apresentação foram capazes de prender a atenção do público dando vida à trama. Mônica Guimarães confessa que ter um ator global no elenco sempre atrairá mais pessoas, mas defende que “nenhum ator, seja ele global ou não, jamais mantém um público se ele não for bom”.

Catherine Baggio, 2º ano.